quinta-feira, junho 15, 2006

A dor e a delícia de andar de ônibus...

A dor e a delícia de andar de ônibus nessa Sampa desvairada...

Num passado não tão remoto eu andava motorizada, mas por esses descuidos de mulher, deixei fundir o motor do meu último carro e desde que o vendi, aprendi a adaptar-me ao uso do transporte coletivo... (Muito por auto-flagelo, pra só te de novo quando eu souber ter e cuidar...)

Há tempos venho refletindo nisso... nisso que joguei na epígrafe acima: a dor e a delícia de andar de ônibus... Delícia é poder ler um livro inteiro no trânsito caótico, ou sintonizar aquela rádio favorita, ou ainda ouvir seus CDs prediletos enquanto os motoristas estressados ao redor buzinam enlouquecidos... (coitadinhos) A dor? Ou as dores? Siiiim... podem ser muitas: não conseguir entrar de tão lotado, não conseguir descer de tão lotado, perder o último...
Já perdi muitos últimos na volta do trabalho, já que saio tão tarde muitas vezes... Aí agente acha uma alternativa de passar a hora até chegar o primeiro do dia seguinte... Eu já fiz hora em muita LAN-house, internet café, padaria 24-horas, só pra esperar o primeiro...
E perder o último não necessariamente é só dor, pode também ser uma delícia... uma delícia comer um croissant na madrugada, com um capuccino... vai bem, fala a sério??
Pode se transformar em delícia, a dor de estar no ponto esperando pelo último e... o mesmo, atrasado, te aflige e faz pensar: "ai, vou ficar na rua..." e outros passageiros também em situação similar ali: ou estão esperando pelos seus últimos ou já os perderam... Então a delícia é poder travar uma conversa filosófica de ponto-de-ônibus, produtiva, privilégio esse que, se eu andasse de carro eu não poderia ter... não é mesmo?

Já pensou nisso?

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial