quinta-feira, setembro 07, 2006

As "páginas azuis" e seus "scraps"


Hoje, madrugada de feriado de Independência, é uma boa oportunidade para debruçar-me no teclado e traçar aqui algumas reflexões... É sobre as "páginas azuis", como as chama um colega de blog, o Orkut e seus "scraps" que ali postados causam desde pavor até paixão! Definitivamente as famigeradas postagens nos causam um sem-fim de sensações. Pessoalmente, tenho por política manter ali somente as mais marcantes ou porque a pessoa que a postou reapareceu do além, ou porque o conteúdo da mensagem é muito significativo ou porque a forma (e a estética da escrita) é encantadora... Quanto ao resto: postagens que eram recados para determinado evento ou data, passou, apaguei; ou até mesmo recados inconvenientes, provocantes ou comprometedores: óbvio, apaga-se.

Tem gente que apaga tudo: não quer expor a privacidade de jeito nenhum. E tem aqueles que deixam de tudo: até o cocô do cavalo do bandido permanece lá, ad eternum. Oras, se é úm mural público, é natural que queiramos dar "aquela" espiadinha. Então: aí entra o tal turbilhão de sensações em que nos envolvemos. Você lê uma recado que é uma resposta, então vai e clica na pessoa que a postou para ver qual era a pergunta... uma coisa simples, todo mundo o faz. É assim que os navegantes vão descobrindo as estorinhas. Daí a pergunta: por que se expor tanto, por que não se apaga certas intimidades dali, por que se deixa tudo quanto é besteirinha... e pensei que só pode ser a)por preguiça de apagar; b)por desleixo, nem sequer abre mais o Orkut para ler os recados; c) para provocar os leitores ou algum "certo" leitor que se sabe que virá a ler o que está escrito e deixa ali, de propósito; ou ainda d)por baixa auto-estima, de certa forma, acumular 4,598 recados dá um ar de ser querido ou desejado, ou requisitado...

Não importa qual seja a razão, para mim, já foi causa impetuosa de término de amizade e até de namoro sólido. Na amizade, uma "amiga" se dizia minha amiga e dizia que não gostava de um desafeto meu; na página do meu desafeto, ela diz lá que a adora, etc e tal. Você dirá: "não tem problema, é só um scrap, ela pode não estar querendo dizer nada...", não, pra mim isso já é o suficiente para a perda da confiança, ou ela estava mentindo para a outra ou para mim, não serve para amiga. E namoro, nem me fala... eu mesma insisti para colocar a corda no meu pescoço, quando logo depois surgiria no mural de recados dele um recado de uma fulaninha amiga dele dizendo insinuações sensuais, dando a entender ao leitor que eles tivessem tendo algo... Que choque! Foi uma briga, talvez a primeira e a maior, que veio a abalar a confiança até então solidificada.

Contudo, eu me recuso a achar que não haja nenhum fundo de verdade em tudo o que está postado. Há sim. É que se questionados, a saída é dizer: "a fulana tá maluca, nem sei do que se trata..." Se é que não há nenhuma importância no conteúdo, então delete, faça-o inexistir, ou então a pena será levar o leitor ao entendimento e à interpretação que se quiser dar. Está ali, querendo dizer algo...

Recentemente acreditei em uma estória da carochinha e num conto do vigário. Sim, eram até pessoas conhecidas, em quem outrora eu já houvera depositado confiança cega, inquestionável, imaculada. Eis que numa postagem que eu ia deixar, descobri outra na mesma página que me levou a querer conferir a estorinha... ihihihi... não prestou, claro... várias "verdades" até então ditas se transformavam em "duvidades"... Pronto: confiança abalada.

Mas ainda bem que os abalos acontecem, pois servem justamente pra nos prevenirmos do que virá lá na frente. E, principalmente, para descobrir o que há por trás da bela máscara.

4 Comentários:

Blogger Vick disse...

Brilhante!
Fiquei impressionado, sua escrita é fantástica e abrange diversos pontos de um mesmo assunto, muito bom mesmo!

Sobre privacidade no orkut, sempre digo: quem a realmente quer, não deve entrar no orkut.

Eu sou desleixado, porém, muito aberto e gosto de ler, e reler tudo o que me dizem lá, seja bom ou ruim. faz parte da vaidade humana saber sobre as impressoes que as pessos tem sobre você, mesmo que virtualmente.

Adorei o primeiro texto que li, e voltarei para ler outros.

beijos e bons sonhos.

9/9/06 03:24  
Blogger Betty Nishi disse...

Obrigada pelas considerações. É uma honra e um privilégio recebê-las!!

Vc tem total razão quanto à questão da privacidade e também à da vaidade humana... Reverei meus conceitos.

Gratíssimaaa!!!
Betty

9/9/06 05:17  
Blogger Nan disse...

Querida,

LI seu scrap, mandei resposta rapidinho, aí bateu uma super saudades de (re)ler seu blog, e cá estou. Com um pouco de pressa, porque os curumins estão me esperando para irmos à padaria. Só queria te falar que, ao pensar em um nome para o meu blog, o nome 'Random thoughts' foi super cotado! Não é super não-aleatório? Acho que a gente precisa mesmo manter contato, e se falar mais, e se ouvir mais, porque tem coisa aí! Depois volto prá te ler mais. Super beijos!

9/9/06 09:22  
Blogger Betty Nishi disse...

Dear Random-thhoughts!

Acho que tem mais coisas sim!

Random é aleatório também... ou não?

escreva! monta logo o seu blog!

bjs

9/9/06 17:02  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial