quinta-feira, dezembro 21, 2006

Cola fabricada de farinha e água

Há pouco, saltei do ônibus. Andava por uma quadra e os muros cercando o hipermercado estavam repletos de novos anúncios de eventos musicais. Pareciam ter sido colados há pouco, pois o excesso de cola ainda escorria parede abaixo. Dali veio um cheiro familiar... Sim! A cola que meu avô fabricava! Imediatamente pude me lembrar dos tempos em que éramos muito pequenos. Quando brincávamos de fabricar pipas, ou colar figurinhas nos álbuns, ou qualquer brincadeira que precisasse de cola, meu avô fazia a cola. Colocava numa panela velha, farinha e água. Ligava o fogão e aquecia a mistura. Nossa! Dava um montão de cola! Agente se esbaldava, pois dava pra usar à vontade. E tinha esse cheiro. Esse mesmo cheiro que eu senti hoje, o cheiro da cola fabricada de farinha e água do vovô. (Com isso, meu avô me ensinava o valor do dinheiro, que não era para se jogar fora. Pra que comprar uma Tenaz, se podíamos fabricar uma caseira? E sobretudo, além de economia, era... sapiência! Meu avô era um gênio! Ele sabia de tudo!)
E... inevitável... sempre que me lembro dele, meu grande herói de infância e de todos os tempos, sinto uma saudade indescritível...

2 Comentários:

Anonymous Leandro disse...

Oi Betty,

Que legal a história da cola, imagina que me identifiquei na hora com isso... adoro mexer com coisas que não gastam nada além da nossa imaginação.

É bom lembrarmos de quem gostamos e das coisas que eles faziam conosco. Espero que você tenha um Natal fantástico e seja de lembranças ou de presenças reais, que elas te carreguem as pilhas para mais um ano, que tomara, seja o melhor da sua vida!

Um forte abraço, bom natal e feliz 2007!

21/12/06 16:48  
Blogger Betty Nishi disse...

Obrigada, Le!
A vc também um excelente 2007!
Muito sucesso com a sua nova carreira! auahauahu
bjs

3/1/07 03:53  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial