sexta-feira, novembro 17, 2006

Brincávamos de areia...

Hoje, em meu longo caminho de volta do trabalho, fui tomada de assalto por memórias muito distantes... Eu via no ônibus um cartaz de prevenção à dengue, no qual se sugere a colocação de areia grossa no prato sob os vasos, quando então fui remetida à mais remota memória de areias... Sim...
Na parte do fundão da garagem da casa dos meus pais, havia sempre uma montanhinha de areia para construção, creio que por muitos anos, pois sempre papai reformava alguma coisinha aqui e ali. Para nós, eu e meus dois irmãos do meio, era uma alegria muito grande pegar aquela areia e brincar por horas. Fazíamos "bolinhos" de areia; peneirávamos areia para refinar e granular sobre uma montanha molhada para dar efeito de "neve"; carregávamos água para fazer uma lagoa ou ainda um riacho em torno de um castelinho... tudo isso era ínfimo perto das mil e uma brincadeira que criávamos só com aquele monte de areia encostado no fundão da casa. E era uma alegria... brigávamos como todos os irmãos brigam, ora porque o montante de areia era mais ou menos pra um ou pra outro, ora porque o castelinho de um era dito ser o mais bonito e a concorrência bradaria: "não! o meu é o mais bonito, tá?".
Além do monte de areia, tínhamos um balanço de dois lugares, com estrutura de ferro em formato de trapézio, e dois bancos interligados de madeira. Era uma delícia! Mas eram dois lugares e nós éramos três. Então, a solução era um sempre empurrar os outros dois da vez. Eu era a maior, sempre me achava em desvantagem, pois eu era maior e teria mais força pra empurrar os outros dois menores, e se a minha irmã, que era a mais sensível e por nada se machucava e chorava, eu tomava aquela bronca! "Cuida direito dos seus irmãozinhos!"
Tudo isso é apenas um minutinho de memória da nossa infância tão feliz e saudável. Como brincamos bastante!! Tivemos que estudar muito também, pois só nos era permitido brincar após as tarefas estarem prontas. E éramos passivamente obedientes. Ainda bem! Deu tudo certo. Nenhum de nós ficou torto. Pelo contrário, hoje tenho o maior orgulho dos meus irmãos todos, todos eles bem sucedidos em todos os aspectos de suas vidas. E são lindos, tenho um baita orgulho deles. Diria até que hoje são mais responsáveis do que eu mesma.
Importa mesmo é que somos todos felizes. Muito! Obrigada, Te, Ki, Yu...

1 Comentários:

Anonymous André - Deejay =P disse...

Nossa, você é uma poeta.
=]
hahahah

20/11/06 18:29  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial